COMO LIDAR COM O ESTRESSE E ANSIEDADE DO FINAL DE ANO? - Nala Rizzo - Psicóloga

Enfim chegamos ao último mês do ano. Isso pode representar, para alguns, alegria, festividades, momentos em família e férias, mas para maioria é um dos meses mais estressantes do ano, no qual existe uma sobrecarrega de trabalho e tarefas associadas a uma rotina mais agitada. Nessa época o trânsito fica pior, o comércio mais cheio, os prazos menores e os compromissos maiores. Confraternizações, amigo-oculto e mais gastos são algumas mudanças em toda rotina do dia a dia, por exemplo. Diante de tantas demandas, alguns hábitos saudáveis, como as atividades físicas e alimentação, ficam de lado e até o nosso sono acaba sendo comprometido, sem contar o possível aumento da ingestão de bebidas alcoólicas, devido a uma vida social mais intensa. Tudo isso tem um grande impacto na nossa saúde física e emocional.

O estresse atua como um combustível no nosso organismo, elevando nosso nível de ansiedade. Essa tensão tem um peso ainda maior para quem sofre de transtorno de ansiedade, pois essas pessoas têm uma sensibilidade maior ao estresse, o que pode agravar o quadro nessa época, intensificando os sintomas.

Uma pesquisa realizada pelo Internacional Stress Management Association (ISMA-BR) revelou que oito em cada dez pessoas admitiram sofrer altos níveis de tensão entre a segunda quinzena de novembro até o início de janeiro.

Os sintomas emocionais mais comuns do estresse são: impaciência, irritabilidade e ansiedade. Já os físicos são tensões musculares, dores de cabeça, dificuldade para dormir e problemas gastrointestinais.

Como forma de você manter a sua saúde mental nesse período, aqui estão algumas dicas de pequenas atitudes que podem minimizar o estresse e consequentemente a ansiedade nessa época do ano: 

· Entenda que é uma situação passageira e breve;

· Faça listas e priorize o que é importante nesse momento;

· Não deixe tudo para última hora;

· Tenha flexibilidade caso as coias não saiam como planejado, buscando sempre novas alternativas;

· Diga NÃO quando necessário, para não se sobrecarregar ainda mais;

· Aprenda a pedir ajuda e/ou a delegar quando necessário;

· Reconheça seus ganhos ao invés de só olhar para o que falta até agora;

· Se prepare para estar com a família, aceitando os sentimentos que possam surgir, mesmo que estes não sejam só alegria;

· Crie menos expectativas com relações aos reencontros.

 Relaxe e Boas festas!

 

Nala Rizzo G. Alexandre
Psicóloga Clínica e Hospitalar
Atendimento Presencial e Online
Foco em Ansiedade
CRP:05/35288