CORONAVÍRUS EM ALTA, E O ÁLCOOL EM BAIXA NAS PRATELEIRAS - Deborah Cotrofe - Segurança Alimentar

março 09, 2020

Em busca da prevenção ao coronavírus, a procura pelo álcool aumentou, mas o que muitos consumidores não devem saber, é que a única forma de adquirirmos o álcool etílico em altas concentrações é em gel. Até 2002 era muito comum encontramos nas prateleiras dos supermercados, a venda na forma líquida e nas elevadas graduações (70, 80, 92,8ºINPM), mas com o intuito de evitar acidentes com queimaduras e ingestão, sobretudo em crianças, o Ministério da Saúde aprovou a Resolução nº 46 de 20/02/2002 da Anvisa. A partir disso, ficou proibida a venda direta ao público do álcool etílico com graduação acima de 54°GL (ou 46°INPM) na forma líquida, devendo ser comercializado unicamente na forma em gel, e no volume máximo de 500g (exatamente o que mostra o vídeo ao final desse texto). Por essa razão, que ao procurarmos pelo álcool queridinho dos churrasqueiros, o 92,8°INPM, não o encontramos mais.

Mas por que o álcool 70% é o mais eficaz para a antissepsia das mãos?!Para início de conversa, o álcool é composto por álcool etílico e água deionizada, no caso da graduação 70°INPM, são 70% de álcool e aproximadamente 30% de água. Essas proporções são importantes para que o tempo de ação seja suficiente, ou seja, o álcool evapora mais devagar sendo capaz de desnaturar as proteínas através do processo de coagulação, eliminando assim o microrganismo.O álcool mais concentrado ou absoluto (100%), não exerce maior poder de desinfecção, pois nessa concentração não há presença de água, logo a sua evaporação é mais rápida, não havendo tempo suficiente para ação no microrganismo. Idem para as proporções acima de 70%, e para as baixas concentrações, o efeito é inverso,devido à maior proporção de água, o álcool demora a evaporar, tendo mais tempo de ação, mas falta quantidade suficiente para a eliminação do microrganismo.

Entretanto, nem todo álcool em gel é álcool 70%, e é extremamente importante no momento da compra, verificar a proporção presente. Vale ressaltar que, se as mãos não forem lavadas corretamente com água e sabão, os microrganismos podem ser fixados na pele através do mau uso do álcool em gel. Por isso, sempre que possível, lave primeiramente as mãos e em seguida utilize o antisséptico. Para mais dicas e informações como essas, acesse a página @debinforma no Instagram!