FOTOGRAFIA COM O CELULAR: ESCOLHENDO O MELHOR APARELHO - Cláudia Polycarpo - Fotógrafa

janeiro 10, 2020

Fotografia com Celular: Escolhendo o Melhor Aparelho

Se a sua intenção é migrar para um smartphone que atenda às suas necessidades, mas não sabe que critérios considerar, esse artigo vai ajudá-la.

Com uma infinidade de modelos no mercado, depois de uma longa pesquisa, de vários testes que fiz e da leitura de revisões de especialistas, posso assegurar que não existe um modelo de smartphone que seja “o melhor" em todos os critérios que abordaremos.  É claro que há modelos com mais recursos, mas podem perder em algum aspecto para outros.

Muita gente pensa que apenas a quantidade de megapixels é relevante. Embora seja importante, existem outras características a serem consideradas na hora da escolha do aparelho para fazer fotos de mais qualidade.

Por isso, enumero a seguir alguns critérios para ajudar você nesse processo:

1- Quantidade de megapixels

 

Você precisa de fotos apenas para as redes sociais ou pretende imprimi-las? Se a necessidade for de impressão, opte por resoluções maiores, ou seja, grande quantidade de megapixels.

2- Capacidade de armazenamento interno

Se o celular escolhido tiver imagens de resolução bem alta, é necessário que tenha também boa capacidade de armazenamento. Considero que memória de 64 Gb seria um bom começo para quem fotografa muito. Se seu aparelho dispõe de pouco armazenamento de dados, o ideal é realizar transferências periódicas de arquivos para uma nuvem ou algum HD externo.

3- Foco dinâmico 

 Se você é apaixonado por selfies, muita atenção nessa hora. Empreendedores que trabalham bastante sua marca pessoal e divulgam muitos autorretratos nas redes sociais necessitam de aparelhos com boa performance nesse item.

      O modo de foco dinâmico, chamado “retrato" em algumas marcas de aparelho, permite um resultado mais profissional.  Ele foca o ponto selecionado e desfoca o restante da imagem, produzindo o efeito “bokeh" (desfoque)

Embora a Apple tenha sido a pioneira na função, já se encontra democratizada em celulares de preços mais acessíveis. Inclusive, o recurso foi estendido à câmera frontal, o que permite selfies mais bonitos. Entretanto, vale testar o desempenho dos aparelhos, visto que o aplicativo de alguns não seja tão preciso na separação entre a área focada e a desfocada. Muitas vezes acontece de partes do cabelo ou da roupa do fotografado serem desfocadas juntamente com o fundo. Há smartphones também que apresentam resultados muito saturados e/ou contrastante nesse item.

 

4- Temporizador de disparo

 

Se você curte fotos em grupo, o temporizador de disparos deve ser levado em consideração.  Há modelos com temporizadores de 2 e 5 segundos.  Os mais avançados, apresentam o tempo estendido de 10 segundos, que é suficiente, para, por exemplo, programar a câmera e dar aquela corridinha até se inserir no enquadramento.

 

Zoom

Se fotos de viagem e paisagens são prioridades para você, veja a capacidade de zoom “óptico“ do seu celular. O zoom digital é apenas uma ampliação da imagem. Já o óptico se trata do efeito real de aproximação produzido pela lente. Opte, então, pelo segundo.

 

Abertura

Esse é um elemento também muito relevante ao escolher uma câmera de celular. A abertura determina a entrada de luz, deixando as fotos com maior ou menor iluminação. O nível de abertura é determinado  por números, tais como 2.2, 2.3 e 1.8.

Quanto menor esse número, maior a capacidade de abertura, permitindo melhor performance em ambientes pouco iluminados. Evita também a granulação que é aquele efeito desagradável de ruído, quando fotografamos em locais mais escuros.

Vídeos

Se vídeos fazem parte da sua rotina, observe se as câmeras filmam em HD, Full HD e até Ultra HD, para imagens de mais qualidade. Entretanto, atente para a capacidade de armazenamento, pois vídeos consomem muita memória.

 

Modo ultra wide

 Quem trabalha com arquitetura e decoração, precisa de câmeras que tenham uma boa lente grande angular. Ela possibilita capturas com ângulo mais amplo, permitindo a inserção de mais elementos na imagem.

Modelos mais modernos de celulares já dispõem do modo ultra wide, que apresenta essa capacidade potencializada, ideal para fotografia de paisagens, grupos e interiores.

 

 

Com a infinidade de aplicativos,  não vejo necessidade de celulares com muitos recursos de edição.  Há alternativas gratuitas no mercado, que podem ser baixadas e utilizadas facilmente, personalizando conforme o estilo do usuário. 

 

Finalizo, destacando que o ideal é elencar seus objetivos fotográficos, determinar o orçamento e alinhar esses aspectos aos modelos disponíveis.  A tecnologia avança a cada dia e é possível escolher aparelhos com ótima relação custo-benefício. Não compre por impulso.  Pesquise, vá às lojas, faça testes, verifique opiniões na internet e, de forma consciente, faça a melhor escolha.  Um aparelho, se bem cuidado, dura anos e é um investimento que vale a pena. Afinal, na era digital, muitas pessoas fazem da câmera do celular a companheira de todas as horas, para registro de suas rotinas.

@claudiapolycarpophotography

@retratos_corporativos