POR QUE ENTENDER SOBRE SUAS FINANÇAS PESSOAIS? - Bárbara Bravo - Coach Financeira

dezembro 19, 2019

Uma pesquisa publicada este ano mostrou que o percentual de famílias que relataram ter dívidas entre cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro alcançou 61,5% em fevereiro de 2019, acima dos 60,1% observados no mês anterior.

O cartão de crédito foi apontado em primeiro lugar como um dos principais tipos de dívida, com 78,5% das famílias endividadas, seguido por carnês, com 13,9%, e, em terceiro, por financiamento de carro, com 9,8%.


Com isso, observamos que mais da metade dos brasileiros não sabe lidar com suas finanças pessoais, o que causa o endividamento.


Sabemos que a educação financeira no nosso país nunca fez parte do processo de aprendizado nas escolas e nos lares das famílias. Então, falar em finanças muitas vezes pode provocar calafrios em muita gente. 


Entretanto, é importante ficar atento ao entendimento desse assunto dada a relevância de suas consequências em nossas vidas, seja no aspecto material ou no aspecto mental, este último ainda mais importante. 


Seja qual for o cargo, um empresário, funcionário público ou empregado assalariado, conversar sobre dinheiro e saber como cuidar dele, é uma etapa fundamental para se ter um bom planejamento e assim conseguir conquistar objetivos (metas) e sonhos.


Conhecer as próprias finanças é importante para gerir despesas e receitas buscando aumentar o patrimônio e, com isso, ter escolhas mais eficientes. Tomamos decisões financeiras ao longo de toda nossa vida, a todo o momento. Entender que as nossas decisões financeiras hoje nos trarão melhores frutos amanhã, com certeza nos leva a uma mudança de postura, a pensar mais em nosso orçamento doméstico e nos gastos pessoais.


Não se engane, não fazer nada também é uma escolha que traz consequências. A principal delas é tirar a decisão sobre o seu futuro das suas mãos. 


O objetivo de um maior conhecimento de finanças pessoais é o equilíbrio de receitas e despesas, evitando dívidas e melhorando o bem-estar individual e/ou familiar, e assim proporcionando a oportunidade de investir para gerar e aumentar o patrimônio.


Para iniciar a sua organização financeira, indico 5 dicas estratégicas para seguir no seu planejamento:


1) Descubra quanto você gasta por mês: faça o seu diagnóstico financeiro, verifique quanto está gastando com contas fixas e variáveis e se os gastos estão equilibrados com suas receitas;
2) Corte os gastos desnecessários: após verificar todos os seus gastos, confirme se possui algum gasto em excesso. Verifique por exemplo: se é realmente utilizado todo pacote da TV a cabo; se paga contas depois do vencimento com juros; se há excesso/descontrole no uso do cartão de crédito, entre outros;
3) Poupe e invista corretamente: Coloque em seu planejamento uma parcela de sua receita para investir em sonhos e no seu futuro. Este item é prioridade sobre os gastos! “Gaste o que sobra depois de investir” e não “invista o que sobra depois de gastar”.
4) Tenha reserva de emergência: reserva para imprevistos, transição de carreira etc.;
5) Evite dívidas e parcelamentos no cartão de crédito e cheque especial: estes possuem os maiores juros e são os responsáveis por grande parte dos endividamentos e estrangulamento das contas mensais.

Essas são as dicas para que você possa finalizar esse ano com um projeto para equilibrar suas contas e assim ter um início de 2020 mais tranquilo!