"COMO ANDAM SUAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS?"

Matriz Colunistas 32 300x300 1

Como andam suas relações interpessoais?

As relações interpessoais representam uma parte essencial de nossa vida, uma vez que somos seres relacionais. Seja pessoal ou profissionalmente, em nossa trajetória dependemos em grande parte da quantidade e, sobretudo, da qualidade de relacionamentos que somos capazes de criar e manter.

Para que sejamos competentes nessas relações, precisamos contar com um repertório de comportamentos apropriados ao trato com o outro: ao que chamamos de habilidades socioemocionais. A chave para desenvolver essas habilidades é harmonizar nossos sentimentos, pensamentos e ações, ou seja, ter palavras e atitudes (ações) compatíveis com o que pensamos (razão) e sentimos (emoção). Algumas pessoas têm mais dificuldade outras menos, para todas recomendo treinar as habilidades socioemocionais para, entre outras coisas, estabelecer relações mais saudáveis, funcionais e que te façam bem. Isso em qualquer área da vida.

Do ponto de vista profissional, a influência das habilidades socioemocionais é cada vez mais valorizada. Diz-se que no mercado de trabalho que pessoas são admitidas por suas competências técnicas e demitidas pelas socioemocionais. Há pesquisas que apontam as competências emocionais como a diferença central entre líderes inspiradores e medíocres. E mais: 90% do êxito da liderança são atribuídos às capacidades intra e interpessoais (Portella, 2012). Os estudos mostram ainda que as características comuns dos executivos que fracassam são a rigidez mental e os relacionamentos deficientes.

Os elementos que sinalizam uma conduta como socialmente hábil são o contato visual; a conversação, no sentido do conteúdo, fluência e duração; qualidade da voz e qualidade de gestos. Entre as respostas socialmente hábeis, podemos elencar os seguintes exemplos:

  • Iniciar e manter conversações.
  • Expressar amor, agrado e afeto.
  • Defender direitos.
  • Pedir favores.
  • Recusar pedidos.
  • Aceitar elogios.
  • Expressar opiniões.
  • Discordar.
  • Expressar incômodo ou desagrado.
  • Fazer e receber críticas.
  • Mudar de opinião.

Dessa forma, torna-se evidente a necessidade de desenvolvermos nossas habilidades sociais, para que as relações, duradouras ou pontuais, tanto afetivas, quanto de trabalho ou estudo, sejam inteiramente saudáveis e nos façam mais felizes!

Claudia Pimentel

-Psicóloga Clínica e Coach
-Especialista em Saúde Emocional da Mulher e da Família
-Professora e Supervisora
-Palestrante

@claudiapimentel.psicologia
Www.sermaispsi.com.br

Compartilhar

WhatsApp
Facebook
  • Ainda não há comentários.
  • Adicione um comentário