"COMO GANHAR DINHEIRO COM OS SEUS DESAPEGOS?"

Matriz Colunistas 3 300x300 1

Janeiro é o mês que a gente tira para dar aquela organizada nos armários. E é também o mês que temos gastos extras como IPVA, IPTU, matrícula, anuidade de conselho e material escolar…

Então, que tal juntar o útil ao agradável fazendo renda extra com o que está saindo do seu guarda-roupa?

Eu sei! Muita gente me fala que prefere doar. Claro! Doar é uma ótima opção, entretanto, as instituições têm um limite. Algumas coisas têm bom valor de revenda. Pense em CATEGORIZAR. Separe o que vai para doação e o que vai ser revendido.

O mercado de segunda mão é uma tendência mundial. É a chamada terceira revolução em que a economia passa, de linear (produz, consome e descarta), para circular (produz, consume, reutiliza, recicla).

A pandemia favoreceu essa transição aumentando em 48,5% os negócios de revenda, segundo o Sebrae.

Para você começar a revender, existem alguns caminhos que vou te enumerar. Porém, antes é preciso te explicar uma relação entre tempo, espaço de armazenamento e rentabilidade.

Quanto mais tempo e espaço você tiver, mais rentabilidade obterá. Quanto mais tempo e rentabilidade você usar, menor rentabilidade obterá, já que pagará por esse serviço.

Vou pontuar algumas possibilidades com seus respectivos pontos positivos e negativos:

1) Fazer seu próprio brechó on-line no Instagram

Ponto positivo: • Maior margem de lucro pois não tem comissão para ninguém.

Ponto negativo: • Todo o trabalho é com você. Leva mais tempo e trabalho para criar a audiência e o espaço de armazenamento é seu.

2) Participar de grupos de desapegos no Whatsapp ou Facebook

Ponto positivo: • Abordagem mais fácil, pois é para várias pessoas ao mesmo tempo.

• Pouco trabalho na elaboração e manutenção da ferramenta.

• Maior margem de lucro pois não tem comissão para ninguém.

Ponto negativo: • Existe um risco envolvido sem respaldo de empresa.

• Recisa ser criada uma relação de confiança entre cliente e vendedor.

• Espaço de armazenamento, trabalho de fotografia, negociação e entrega, são por sua conta.

3) Contas em aplicativos específicos

Ponto positivo: • A abordagem é do cliente com você.

• Cálculo de frete, etiqueta para envio e ferramenta de cobrança com o site.

• Possíveis ônus são pelo site.

Ponto negativo: • Alta taxa do site.

• Grande competitividade.

• Espaço de armazenamento é seu.

• Trabalho de fotografia e postagem.

4) Vender lotes para revendedores

Ponto positivo: • Pouco trabalho e tempo para liberar seu espaço.

Ponto negativo: • Baixíssima rentabilidade.

• Nenhum poder de negociação.

5) Consignação em um brechó

Ponto positivo: • Toda a estrutura de loja é oferecida para vender suas peças.

• Espaço de armazenamento.

• Divulgação e atendimento.

Ponto negativo: • A comissão

Já testei a maioria das opções (já que tem novas plataformas que ainda não tentei) e optei por consignação em brechó. Foi assim que transformei o enxoval da minha filha mais velha em enxoval para o caçula no “Peça Rara” em Brasília.

Ao escolher um brechó para ser parceira, procure saber o que as pessoas dizem sobre ele. É importante alinhar as expectativas. Veja a credibilidade e os preços praticados, assim como seus produtos para que estejam de acordo com os seus desapegos. Isso porque existem brechós “vintages”,  outros focados em marca, outros de luxo…

Seja cliente antes de ser fornecedora, procure loja física ou on-line para experimentar como é o atendimento. Veja os comentários nas redes de quem já comprou no Instagram, Facebook e Google.

Aqui em Niterói, a “Charlotte Brechó” tem nota máxima no Google com mais de 200 avaliações. Vale a pena conhecer!

CUIDADOS COM A PEÇA NA HORA DE VENDER

– Lave, passe, costure se necessário;

– Mantenha a etiqueta da loja, caso não tenha sido usada (isso deixa a peça mais atraente e valiosa);

– Faça boas fotos com iluminação;

– Se puder, poste a peça no corpo;

– Monte looks com a peça;

– Faça arte no Canva mostrando os detalhes;

– Informe se a peça sofreu alguma alteração, como ter sido apertada na cintura, por exemplo;

– Informe tanto o tamanho como as medidas da peça;

– Informe a marca da roupa (cuidado com peças de lojas de departamentos, fale a marca, porém diga o nome da loja também. Exemplo: Blue Steal – Renner, Marisa, C&A…).

O QUE NÃO VENDER ?

– Roupas desgastadas, furadas, sujas, manchadas, remendadas;

– Roupas íntimas (calcinhas e cintas) já usadas;

– Sapatos e bolsas arranhados, descascando ou com qualquer outra avaria;

– Bijuterias perdendo a cor ou com qualquer outra avaria;

– Objetos com nomes marcados;

– Roupas com ajustes.

Caso queira alguma orientação, estou à disposição para lhe ajudar.

Se você é de Niterói, venha conhecer meu trabalho de consultoria de imagem e estilo consciente na Charlotte Brechó. Além disso, você terá acesso ao acervo do brechó com muitas novidades.

Você me encontra lá toda sexta-feira.

Obrigada,

Julia Turl Valim – Consultora de imagem e estilo consciente

@estilojuliaturl

(21) 99205-9105

Compartilhar

WhatsApp
Facebook
  • Ainda não há comentários.
  • Adicione um comentário