"INTESTINO – O CÉREBRO DESCONHECIDO"

Matriz Colunistas 2022 06 29T220652.976

Na prática clínica, quando perguntamos sobre o funcionamento do intestino, muitos  pacientes nos olham meio constrangidos e envergonhados. Isso mostra um certo tabu a respeito desse órgão e da forma como a maioria olha pra ele. Isso precisa urgentemente ser desmistificado, porque cada vez mais, tem se provado e comprovado sua importância.

Na verdade, o intestino sempre foi o maestro da nossa saúde, prova disso, é que ele é considerado o segundo cérebro. Hoje sabemos que o intestino exerce funções bem mais complexas do que somente excreção.

Como sempre costumo dizer, somos seres vivos, consequentemente deterioráveis, ou seja, todos os dias células nascem e morrem no nosso corpo, e a qualidade dessas novas células depende não só dos alimentos que ingerimos, mas também do intestino, porquê é nele que vai ocorrer a absorção da maioria dos nutrientes, ou seja, o intestino  seleciona o que entra e o que será excretado  e todo esse processo acontece de forma involuntária e automática pelo organismo.

Para ilustrar e te fazer refletir sobre a importância dos mecanismos de defesa desse importante órgão, quero que pense no que acontece quando você come algo ruim (estragado ou contaminado), isso mesmo, uma das principais reações do seu intestino será expelir, expulsar aquilo do seu corpo a fim de evitar danos maiores e a possível absorção e circulação dessas toxinas no organismo.

O interessante aqui é refletirmos sobre todo o trajeto do alimento a partir do momento que você escolhe algo para comer.  Ao colocar o alimento na boca,  inicia -se o processo de mastigação, digestão, captação, transporte, absorção e excreção de todos os nutrientes necessários para a nossa vida e para a manutenção da saúde. Diante disso, nossa principal função é saber escolher e optar por fazer escolhas saudáveis condizentes com quem somos e com quem queremos ser no futuro.

Além de todas as funções já relatadas, o intestino também é responsável pela produção de hormônios e neurotransmissores importantíssimos na regulação do sono, humor, disposição, fome e saciedade. Responsável também pela saúde física, mental, cognitiva e emocional, ou seja, o intestino não só recebe informações do cérebro como também emite, e em maior quantidade, informações para o cérebro e tudo isso, através do nervo vago.

Sei que parece bem complexo, mas calma, vou explicar:

O intestino é colonizado por um grande número de bactérias e fungos, entre outros microrganismos, conhecidos como microbiota – em torno de cem bilhões, chegando a pesar entre um e dois quilos (imagina isso!). Todas essas bactérias começam a ser recrutadas a partir do parto, daí a importância do parto normal e da saúde microbiológica dessa mãe e da qualidade do meio onde esse bebê nasce, incluindo o processo de amamentação – quando a criança começa a desenvolver seu sistema imune.  E aqui é o ponto chave, a qualidade dessa microbiota (bactérias, fungos e afins) depende do que comemos, do ambiente onde estamos, da qualidade dos nossos pensamentos e  sentimentos.

O que mais altera a qualidade da microbiota e que trazendo prejuízos graves para a saúde e para a qualidade de vida, inclusive para o emagrecimento, são os maus hábitos, ou seja, alimentação rica em industrializados, ultraprocessados, embutidos, açúcares e gorduras de má qualidade, além do fator idade, estresse,  noites mal dormidas,  álcool, etc.

Todo esse desequilíbrio na nossa rotina leva ao que chamamos de Disbiose, que será tema do próximo artigo.

 

Espero que tenha gostado.

Estou aberta para esclarecer alguma dúvida.

Paula Paulino – Nutricionista

🧠 Nutrição Física e Emocional
📌 Atendimento Presencial e On-line

21 98339-1899

Compartilhar

  • Ainda não há comentários.
  • Adicione um comentário